A idéia:

Tudo começou em 2006. Mamadu Banjai, que trabalha no município de Stavanger com crianças e jovens com deficiência mental, pensou em fazer algo para este grupo de pessoas no seu país de origem, Guiné-Bissau. Ele contactou o Espen Kolstø e a Ingun Evensen, que também trabalha no municipio de Stavanger com o mesmo grupo de pessoas, a fim lhe apoiar.

Tivemos muitas reuniões onde tentamos encontrar o caminho a percorrer., tivemos em contacto com várias instituições de caridade para conselhos. Descobrimos que há algumas das grandes organizações envolvidas no país. A Unisef tem missões no País, mas principalmente com a mortalidade infantil, e particularmente em relação com à malária entre as crianças.  A viagem à Guiné-Bissau  Decidimos abrir um centro de cuidado ao deficientes mentais em Bissau., depois da nossa visita ao País, vimos que era uma boa ideia porque estes grupos de pessoas nao tem nenhum tipo de apoio.

Antes de irmos, tínhamos feito marcaações para as reuniões com diversas profissionais de saúde., fomos recebidos de braços abertos por toda a parte. «Bem que alguém vai fazer alguma coisa para deficientes mentais», ouvimos constantemente, também do Director de Saúde. Logo no primeiro dia reunimos com o únoco  psiquiatra do País no momento. Ele dirige um ambulatório para doentes mentais, gostou da nossa ideia, e está interessado em cooperar com nosco.

Todas as informações sobre o nosso projecto de apoio ao deficientes mentais em guiné-Bissau será via rádio porque é o meio de comunicacão mais usada do País, e o psiquiatra sugeriu que as tentativas iniciais para chegar ás famílias com crianças deficientes mentais seria mais facil por meio desse canal. Com o apoio do nosso projecto em Bissau vamos ofrecer a dignosticacão e a medicação gratuitamente.

para mais informações, envie-nos um e-mail: Post(at)guineabissau.no